9.7.07

Carros, muitos carros na Boavista



Carros, automóveis ou viaturas são isso mesmo. Cumprem a sua função. Transporte em segurança e conforto. Mas, nada mais do que isso. Achava eu.

Nunca havia descortinado qual a atracção ou emoção envolvida neste tipo de desporto. Era um grupo de loucos com muito dinheiro a fazer barulho com motores em binários extraordinários e velocidades impensáveis.
Nunca tinha percebido.

No desporto, seja ele futebol, volley ou salto em comprimento há a superação do ser humano de si mesmo. O corpo é o único instrumento. E tentam-se proezas de força e resistência. Percebo.

Nos Karts, Rallys ou Fórmulas, a superação é intelectual e vem sobre a forma de alumínio e injectores e caixas de velocidade reduzidas. O espectáculo não é humano. É mecânico e metálico. Não percebia.

Mas, é de facto espectáculo. Não posso negar. De todo. Como é impensável a superação humana a que o piloto se submete para ser o mais rápido, para ser o melhor. Na sua atenção e destreza. Á mercê de parafusos bem colocados e pneus quentes e temperados. Vi, pela primeira vez. Senti, pela primeira vez, a emoção nos gritos dos motores, no vento da velocidade. E é mágico. Admito.

Afilam-se na grelha, os carrinhos ocos cheios de adrenalina e os motores ensurdecedores, enquanto se aguarda que as luzinhas que são muitas fiquem bem vermelhas e embarcam em voltas de alucínio.

Percebi, junto ao ar salgado de areia da Boavista que é um jogo de emoções assistir a uma corrida. Ao contrário de outras modalidades, assistir desporto automóvel faz saltar arrepios na pele, zumbidos na cabeça que nos vertiginam. Nem sequer imagino o que deve ser praticá-lo.

As milhares de pessoas começaram a romaria ao circuito às 08h00 e compunham o cenário. Homens e mulheres. Passeavam os gelados entre corridas. Cães escovados passeavam os donos cima abaixo em cores de felicidades absolutas num Domingo barulhento.
E o silêncio era imenso antes das Partidas.
Os berros descolavam nas ultrapassagens. Nos “toques” e acidentes. Sem feridos. Só com exemplos de força interior, muita, muita. E uma garra esticada à vida.

Agora tenho respeito. Mesmo muito. Mas, é mais fácil, já sei o que é o Pit Lane, e o significado da bandeira azul e hei-de sempre assustar-me com o “ratér”.
Para a semana há mais.


Obrigada, Rui. Por tanto que me ensinas. Obrigada, . Por tanto que me revelas.

9 comentários:

aquele a quem falaste no -3 disse...

Saúda-se o bom gosto e a escrita "corrida " que espelha, em absoluto, o espírito que se viveu no passado fim de semana no circuíto da boavista.
Estive lá. As fotos poderiam ter sido melhor conseguidas... sobretudo porque não vi estes popós a correrem no passado fim de semana. São "GT`s" e este ano não vieram ao Porto! enganei-me?
Gostava ainda de lamentar o facto do senhor da mota não ter sido convidado como cabeça de cartaz, como já o foi em tempos gloriosos onde era convidado para publicidade a festivais e festas mundanas de outro jaez.Lamentável.
Por fim, deixo aqui um conselho para todos os amantes do desporto automóvel: não esqueçam a marmita quando forem a estes eventos. De preferência levem uma mala térmica daquelas mesmo grandes, se estiverem nas bancadas ainda melhor, podem passar todo o tempo a comer o raio dos "crocretes". Como é óbvio, não estive na zona chique da boavista.

Anónimo disse...

É com agrado que vejo alguém de "fora" perceber que, afinal os carros, aos quais uns chamam automóveis ou mesmo viaturas, são um pouco mais que um mero meio de transporte. Afinal, estas “máquinas” não são apenas um assunto de putos crescidos ou puros exibicionistas – para alguns, infelizmente essa regra ainda se aplica –, têm uma história atrás de um rouco cantar de motor ou simples borracha deixada no asfalto.
Percebeste que afinal sempre há um “cheirinho” doce a gasolina no ar.
Sem querer defender uma causa – onde os carrinhos com rodas de fora não têm entrada – , fica combinada uma madrugada num troço de rali, com a neblina da manhã a cumprir a missão de carro “0” – de preferência em terra. Aí sim, homens e carros, conseguem voar num bailado único.
Obrigado, também.

Nota: Estou curioso sobre a crónica do concurso de credenciais.
PS: Já agora, há por aí after-sun?!! É que o marisco está para lá de cozido.

o outro.. disse...

bom minha filha.. até parece que não tens estado atenta ao festival das curtas.. já te esqueceste do nervo miudinho que causei ao conduzir aquela Sachs V5 super??? a mota do festival, isso sim era adrenalina.. agora em bólidos de 50.000 contos, com fatos ignífugos, capacetes gpa com fecho de segurança e apoio da cervical, arcos de aço a proteger os chassis, gajas boas na bancada e no teu "pit lane", nas boxes e demais redondezas, até o meu vizinho do -3 faria boa figura.. No fundo querida.. és uma elitista! só te interessam grandes bombas, mas eu, para que saibas, já cá andava a acelerar. A mim não vieste tu convidar para competir, pois olha.. com as voltas dadas a atrás do safety car, as minhjas 5 velocidades engatadas, nem que fosse com raters eu iria chagar ao tunel de vento do dito cujo e no melhor spot, iria ultrapassar em slide, evitando fazer o téte antes da reta final, para receber o xadrez e finalmente ver-te reconhecer-me, vencedor. Depois.. tal como césar à entrada de roma, seria levado em ombros ostentando os louros e teu sorriso... Este gajo é que era.. é meu motoqueiro do -3...... enfim! carros são carros, tens de aparecer mais vezes.

o outro a quem falaste no -3 disse...

Onde tb havia bom marisco era na rotunda da rede, Tinha lá marisco e febras, pricipalmente as que eram servidas pelas meninas da publicidade. Ouvi lá esta boca adiantada no público a uma dessas lindas meninas que militavam no circuíto: "embrulha o pito e atira-o".
Ora bem, as meninas andavam a oferecer um mapa. Ainda me esforcei para ver onde estava o churrasco, mas nada... Só depois, um dia depois, me apercebi que era uma boca ordinária atirada num bailado único homem/febra.
PS: Também apanhei um escaldão.

Anónimo disse...

Outro:
Tás é com inveja, querias ter ido às corridas, ter ficado com uma insolação, ter apanhado um frio do caraças, ter ficado no meio do povinho com as suas marmitas artilhadas.... a inveja é lixada... :)

o anónima (activo e passivo) disse...

Óh anónimo.. estou mortinhooo por saber quem és a final.. A tia susie bem sei que gostava de bólidos, mas tu.. tu és poesia! Tás louca ou quê? tu nem sabes o que provocas com a tua letra.. o rouco cantar (lembra-me a voz de alguém) e o cheirinho adocicado no ar (a gasolina, a langerie de homem... enfim é tudo a mesma coisa não é??... pasmei: um TROÇO de rali!! o anónimo, bem que podias ser mais discreto.. a tia pode não entender a coisa percebes?) e ainda por cima, logo de manhã... deves ser mesmo violento!! e de perferencia enterra ou em terra? fica a dúvida louca... Enfim, com homens e carros a voar... até eu ficava agradecido! credenciais para quê?? está tudo creditado.. Não precisas de te justificar. O mundo é um arco iris, meu bem.... fica tu também!!

o outro disse...

ò anónimo: tas a ver.. já avacalhãste a coisa. Ansi na pode ser... inveja é coisa de bicha.. vês o que provocas?? ok... confesso que acabei por ver a coisa sentadinho no sofas, com a minha filhota ao lado... bebendo uma cergall (era o que habia).. toma lã coidado, que a coisa pode ferver...

outro.. disse...

ho -3... só dá inveja, como diz o anonimo, se por lá andaram a oferecer o pito embrulhado no jornal... pito da guia, pito da meta, meta no pito.. etc.. até rima..

Susie disse...

Ao com quem falei no -3: Tens razão, eram GT´s e este ano não andaram por lá, já corrigi e apresento a equipa forte deste circuito, a Chevrolet, que até têm cores bonitas e fica bem a foto aqui no blog!

Ao outro: Pois foi, pá! Faltou a corrida das Sachs...Vou falar com os meus conhecimentos pode ser que se arrnaje qualquer coisinha para ti e para a filha daqui a dois anos.

Anónimo: Não te incomodes com estes virús opinativos. Não há firewalls que os pare, decidi acarinha-los em vez que de os enxotar....Apesar de tudo dão um colorido aqui à tasquinha!
Pois, a crónica das credenciais fica para outras núpcias....
Quanto ao marisquinho, meu amigo, é o que acontece aos durões copinhos de leite!! Eu cá estou bronzeada!!;)